Como é bom estar de volta. Por alguns motivos, demorei muito para achar alguma coisa boa por aqui, o choque foi demais, muito tempo longe e a volta choca qualquer um. O que gosto aqui são os amigos, ultimamente temos saído relativamente bastante para comer e quase sempre acompanhados deContinue lendo →

É engraçado como a gente escolhe as amizades, digo isso porque creio eu que desde 1999 não faço novos grandes amigos. A maioria dos meus amigos são da época da escola, antes dos 15 anos de idade. Depois disso fiz alguns amigos, mas olhando para trás vejo que de certaContinue lendo →

Que eu me lembre a minha primeira grande perda, foi quando a minha avó morreu em 1982, na época eu tinha 7 anos, e foi difícil entender como que um dia a pessoa está aqui e no outro não está mais, mesmo que ela tenha ficado 40 dias no hospitalContinue lendo →

Desde a última vez que escrevi aqui, a mais de um mês atrás, tantas coisas aconteceram, tantas coisas mudaram, a perspectiva do que se passa a minha volta também mudou. Outro dia conversando com umas amigas a respeito de relacionamentos, acabei ficando um pouco chateada por saber que uma está,Continue lendo →

Desde pequena a música faz parte da minha vida, meu avô materno era músico profissional, durante anos tocou nas orquestras dos cassinos de Santos, minha tia durante muito tempo foi do coral da Secretaria da Fazenda, meu tio tocava um piano suingado como ninguém, minha mãe sempre gostou de cantar…Continue lendo →

Estando casada a um pouco mais de 6 anos, contando mais um ano de namoro, então posso dizer que a um pouco mais de 7 anos que não tenho as ” mesmas” experiências das personagens acima. O engraçado porém, é sempre poder identificar de uma forma ou de outra amigas,Continue lendo →

Tanto tempo sem escrever, tantas coisas acontecendo e ao mesmo tempo parece que nada acontece, sabe como é? Mais um ano que se passou, muitas coisas mudaram, com a idade chega também a maturidade, uma nova ou apenas uma outra forma de ver e entender o mundo, de ver eContinue lendo →

Hoje me perguntaram se eu já havia me readaptado ao clima do Rio e sinceramente acho difícil responder. Você fica 5 anos em um lugar e se adapta a diferentes coisas, ameaça de atentados, ver pessoas serem exploradas sonhando em levar a família ou comprar a casa própria aqui, aContinue lendo →