Os meus olhos. Os mesmo olhos meus. Aqui e alí. A contemplar a simplicidade das coisas, da vida, das coisas da vida. Te quero vida. Linda, infinita. Lapidada, rara. Lisboa, coisa boa. Marcela SerpaRead More →

Quando resolvi comemorar o aniversário de um ano do meu filho, logo vi que teria que fazer duas festas, uma no Rio, onde moram os avós e nossos amigos e outra aqui onde moramos para os parentes locais. Como ao engravidar não pensei nos gastos que acarretaria ter um filhoRead More →

E assim como um dia Venderei meus próprios pensamentos De dúvidas , de paixões Quaisquer que sejam Mas sem exitação No êxtase de me abrir E deixar que o ar me toque as entranhas E expulse de mim as idéias Que bailam no meu pensar Marcela SerpaRead More →