[Convidados] – Pontos fortes e pontos fracos

reflectescritos-e-descritos.png

Veri, acompanho o 30&alguns pelo bloglines e na hora que vi fui logo abrindo o email e escrevendo, afinal quando estamos com 30&alguns, não podemos mais perder oportunidades.

Por falar nisso, quais são as oportunidades para quem tem 30&alguns e ainda não está milionário, que não tem casa própria, casado e pai de uma filha, estudante de administração, e mora com os pais?

Triste isso? A meu ver, não. Desafiador, sim. Essa pessoa sou eu.

Eu estou pertinho dos 31, faltam 3 meses, e posso dizer que estou bem longe de desistir dos meus sonhos. Se eu ainda sonho? Claro, ainda não morri.

Ainda não alcancei o sucesso de ter um doutorado, o carro do ano, o emprego de R$ 200.000 por ano ou mais. A mansão no bairro nobre.

Não quero falar dos fatores que me impediram ou das chances que não tive, ou o melodrama de menino traumatizado, nada de justificativas e sim, expectativas.

  • quem tem 30&Alguns, texto relacionado a idade, visão do mundo, política, família, ….
    É disso que se trata a sua proposta certo?Pensar nisso me lembra das expectativas que o mundo, o meu mundo aos “30&quasealguns“, espera de mim. Esse mundo é o mundo da criatividade, inovação, sofisticação e superação. Hoje percebo que olhar os meus pontos fortes me ajudam a criar e inovar muito mais do que quando na escola era taxado de “menino problemático”, epa! Disse que não ia me justificar, vamos em frente.Olhar para os pontos fortes das pessoas e criar oportunidades para elas é com certeza a maior qualidade do líder pós-moderno e que será o fator idealizador e concretizador dentro das empresas, igrejas e famílias. Marcus Buckhingam, palestrante inglês e atuante na área de gestão e liderança, é desafiador ao afirmar que o mundo, em geral, enfatiza e busca reparar os pontos fracos ao invés de desenvolver os pontos fortes.

    Pensando nisso ainda há muito o que desenvolver em mim. Então, por que desistir, se hoje eu não sou o que desejava ser a 15 anos atrás? Talvez, há 15 anos atrás eu não soubesse quais eram os meus pontos fortes e tenha vivído todo esse tempo, empenhado em reparar os pontos fracos. Será? Como eu disse: nada de justificativas e sim, expectativas.

    Então, espero mesmo e buscarei isso, nos próximos 10 anos, poder escrever novamente e contar uma história bem diferente dessa. Uma história que, talvez, ainda não esteja repleta de dinheiro, fama e bens, mas será uma história de alguém que descobriu com 30&quasealguns, que é mais importante descobrir e desenvolver os seus pontos fortes, diante das justificativas de fracasso, por seus pontos fracos.

    Pablo Ramada – Escritos e Descritos

  • Curta nossa página 😉

    2 comentários

    1. Pablo primeiro gostaria de agradecer pelo texto, por participar, por escrever de coração sobre os pontos fortes e fracos do seu universo vivendo aos “30quasealguns”.

      Minha mãe sempre me ensinou a sonhar, acreditar e não desistir dos sonhos, espero que você não esteja apenas longe de desistir dos sonhos, mas que nunca se aproxime da desistência.

      E eu espero poder ler o seu texto, daqui 10 anos, quem sabe no blog 40&Alguns. bjs

    2. Vamos juntos Veri.

      É estranho comentar meu próprio texto, mas relendo o que escrevi fortalece o motivo pelo qual escrevi.

      Seu blog e suas palavras são inspiradoras!!!

      Abraços

    Deixe uma resposta

    O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

    Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.