O dia que a boneca gente chegou na minha casa

Engraçado, muitos fatos e momentos da infância são apagados da memória como se nunca tivessem existido, já outros permanecem lá, como uma tatuagem, grudado na mente e muitas vezes quando relatamos o fato lembrado e adicionamos nossa idade a lembrança, as outras pessoas ainda indagam: “mas você lembra disso?”.

O dia que a boneca gente chegou na minha casa eu lembro e digo mais, não fiquei nenhum pouco feliz. Foi um preparatório todo para ir visitar a minha mãe no Hospital, até bobs a babá colocou no meu cabelo no dia anterior para eu estar bem bonita na hora em que fosse apresentada a ela.

Ela não era falante, muito pelo contrário, demorou muito a falar, minha mãe preocupada, depois de meses acabou levando-a ao médico, que explicou que ela não tinha problema algum, apenas não queria falar, quando desse vontade, iria comunicar-se.

Nos primeiros momentos de sua vida, foram os primeiros momentos em que compreendi a maldade, sem mesmo perceber. Digo isso porque ao me deparar com a boneca gente no colo de minha mãe, como já disse, não fiquei nenhum pouco feliz, e a situação piorou ainda mais quando levaram aquela criaturinha para viver sob o mesmo teto que eu, tendo que dividir tudo que mais precioso havia no meu pequeno mundo, onde durante 3 maravilhosos anos, eu era a caçula. Estava claro como o ceú de verão, o meu reinado naquele momento havia acabado.

A primeira maldade que lembro ter feito, foi quando minha mãe precisou pegar a pomada, se me lembro bem, e pediu para eu tomar conta da boneca gente, aproveitei em poucos segundos e belisquei com toda força que os meus pequenos dedidnhos conseguiam apertar. Minha mãe veio correndo e eu lembro de ficar olhando e dizendo: “só chora, criança chata”.

Com o passar dos anos a boneca gente ainda me perturbou bastante e ao mesmo tempo foi minha companheira, dividimos o mesmo quarto durante 15 anos, na adolescência ela detestava emprestar suas coisas, mas adorava pegar as minhas, sem pedir.

Na adolescência durante uma época fomos amigas, saíamos juntos, íamos pras baladas, até que ela ficou mais velha, madura, cabeça e na sua concepção minhas amigas e eu fazíamos parte do “mundo dos sem noção”.

Crescemos, ela foi para um lado, eu fui para outro, depois fui para o mesmo lado que ela, depois ainda voltei para o lado onde estava antes e assim é a vida, hora juntas , hora separadas.

Hoje a boneca gente, chama-se Marcela, nome escolhido por mim aos 3 anos, fui logo avisando, ou esse nome ou eu não gostaria do bebê, algumas pessoas tem personalidade forte desde que nascem, ou são simplesmente implicantes.

Nessa data tão querida só posso desejar a ela muita alegria, muitos momentos felizes, paz de espírito, paz no lar, amor, muito amor, realizações, que nunca perca a meiguice e que sempre seja minha amiga.

Desejo a ela, tudo isso e muito mais porque ela sabe que eu a amo infinito todos os dias e que nos domingos esse amor é ainda em dobro.

Aos 30&Alguns comemoro a milhares de kms de distância o aniversário da minha Boneca Gente. 😉

Curta nossa página 😉

12 thoughts on “O dia que a boneca gente chegou na minha casa

  1. O ciúme neste caso é mais do que natural. Aquilo que foi motivo de rancor hoje é motivo de alegria. Então, faço coro à aniversariante e à você, por ter a felicidade de possuir uma irmã querida. Um hiper beijo as duas.

  2. Existem lembranças da infância que não se apagam,
    eu tbm fiquei mto chateada qdo meu irmãozinho chegou, fiquei sem falar c/,minha mãe por vários dias, ou semanas, não deixava ela se aproximar de mim, só minha tia.
    E hj tbm como vc eu e meu irmão somos gdes amigos,e tbm temos uma longa distância q nos separa.
    bjus

  3. acho q isso acontece com todo irmao mais velho, com vc foi aos 3 anos, comigo foi aos 7… e vc brigou pelo nome e eu disse q se o bebe nao fosse um menino, q eu nao queria, q eu ia mudar de casa… pq menina soh teria eu, nao queria irma, mas sim irmao… a sorte foi q nasceu um irmao, imagina eu pegando minha troxinha? seria hilario, hahaha… bjos…

    hehehe, falando em troxinha, uma vez meu irmão disse que ia embora, aí minha mãe foi com ele, arrumou uma mochilinha e foi até op portão, fingindo estar chateada, mas se ele queria ir embora, ela deixava, qdo chegou no portão ele desistiu… bj

  4. Hoje tb fiquei lembrando do dia em q essa bonequinha gente chegou lá em casa… me lembro perfeitamente q quando nossos pais chegaram com ela, eu corri e me escondi atrás do berço! kkkkkkkkkk
    me lembro de váááááárias coisas, muito boas as lembranças da nossa infânica…. e graças a Deus hoje estamos todos aqui, longe um do outro porém unidos!
    Amo vcs minhas irmãs e nao tem nenhum dia em q eu nao pense em vcs…. bjs mil!!!

    luv u 2!!!!! 😉

  5. Cheguei a pensar que meus filhos (um menino e uma menina) não se uniriam nunca! Estão crescendo e, embora briguem um pouquinho, são apaixonados um pelo outro. Linda a homenagem que você fez, me fez lembrar minha irmã mais novas que está muito longe de mim.
    Obrigada pela visita.

  6. Linda homenagem!
    Meu boneco-gente chegou qndo eu tinha 7 anos, fiz muita maldade tb, belisquei, impliquei, mas o tempo foi passando e hoje, sem sombra de dúvida, posso dizer, q meu irmão é meu grande amigo, pessoa q posso contar sempre, q nunca vai me julgar e sempre tem a melhor visão da minha vida, por isso tive 3 filhos, pq ser filho único deve ser muito chato!
    bjao Veri!

    oi querida, legal ter vc por aqui, eu ainda não tenho filhos, mas tb não consigo imaginar ter apenas um, deve ser muito chato mesmo, eu amo os meus irmãos e acho que não iria reclamar se tivesse mais… bjs

  7. Parabéns Marcela!!! Veri, sei que isso vai chegar a ela, por isso deixo aqui esse recado.

    Beijos para vocês!

    bjs pra vc tb, sumiu, tenho sentido sua falta por aqui… 😉

  8. Veridiana
    este texto é excelente -como sempre aqui- e memorável. Vou citar um dia destes no Desabafo de Mãe, posso?
    Não lembro da chegada dos meus bonecos, só da caçula, que veio quando eu tinha 7 anos e eu já era a mais velha de 3 filhos. Senti um abandono imenso, acho que vou escrever sobre o tema um dia destes.
    Beijos e parabéns para sua irmã.

    Sam, vc sempre pode citar meus textos, fique a vontade…bj

  9. Qdo ainda somos tão pequenos, é difícil entender pq todas as atenções (inclusive das visitas) são para a pequena boneca gente. Onde ficamos???
    Eu não fiquei enciumada, pois há uma diferença considerável entre mim e minha única irmã. Hj ela é uma benção em minha vida, companheira de todos os momentos, trabalhamos juntas, saímos juntas e compartilhamos muitos dos nossos amigos.
    Muito bom seu texto, parabéns à boneca gente!!!
    Gostei muito do seu blog, voltarei vezes.
    Bj

    Obrigada, mi casa su casa…;) bj

  10. Pingback: Hoje é o dia dela e quem recebe o presente somos nós | 30 & Alguns

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Follow by Email
Pinterest
LinkedIn