Van? Tô fora

Não, eu não estou falando da Vanessa (Van) nem do Erivan (Van), estou falando desse tipo de transporte coletivo que eu não entro nem a pau. Sou contra as Vans, da mesma maneira que sou revoltada com a maioria do transporte coletivo que é disponibilizado aos cidadãos desse país.

Sou contra as Vans/Kombis primeiramente porque uma amiga da minha mãe voltando da Barra da Tijuca em sentido a Zona Sul pelo Alto da Boa Vista sofreu um acidente, ficou hospitalizada durante dias, passou por cirurgias e ficou com sequelas, tudo porque o motorista da Van, o “espertinho” resolveu correr para chegar mais rápido no ponto.

Sou contra Vans/Kombis porque uma conhecida minha foi atropelada na calçada indo trabalhar, às 9 horas da manhã e encontra-se em coma desde o mês passado.

Sou contra Vans/Kombis porque cansei de ver motoristas, no bairro em que a minha mãe mora, acelerarem, furarem o sinal vermelho, não se preocupando com os pedestres que atravessavam a rua, cortando os carros pela contra-mão, tudo para chegar no ponto antes do ônibus que estava vindo logo atrás.

Sou contra Vans/Kombis porque canso de ver ônibus circulando vazio, enquanto as Vans/Kombis estão lotadas. Sou contra porque isso dá margem às Vans clandestinas, que são várias.

Certa vez um amigo pegou uma Van e o motorista da mesma tinha separado R$30,00 que depois ele informou que era o dindin do PM que sempre o parava.

Mês passado indo trabalhar vi uma Kombi pendurada, metade na calçada a outra metade pairando no ar na lago Rodrigo de Freitas no Rio de Janeiro. Cena de filme? Não , cena de irresponsabilidade.

Aos 30&Alguns eu fico mais de uma hora no ponto, sigo meu caminho a pé, mas não entro em uma Van/Kombi, aprendi a não entregar minha vida nas mãos de pessoas despreparadas tão facilmente. Alguns minutos podem custar a minha vida.

Curta nossa página 😉

3 comentários

  1. Chris disse…

    Oieeee…
    Putz concordo em genero e número como que você disse…eu tbm NÃO entro em van… isso sempre me causa problemas… mas alguns por alguns centavos eu prefiro mesmo ir de ônibus…
    Bjs…
    Terça-feira, 22 Maio, 2007

    Eu realmente tenho medo ainda sou jovem e não quero me arriscar à toa…bjs

    Anônimo disse…

    O marido da Edna teve perda total do carro depois de uma VAN, entrar no carro dele na praia, só que ele ficou c/o preju p/q o dono da frota foi acionado e é tbm marginal,
    isso na verdade é uma MAFIA
    tô fora
    Mammiga
    Quarta-feira, 23 Maio, 2007

    Está vendo nem pode correr atrás do prejuízo, um absurdo….

    Mariano disse…

    Sou contra Vans/Kombis porque as 05:00 da manhã esses filhos de quenga passam na porta da minha casa com suas buzinas itinerárias: CESAR MAIA, MERC, TAQUARA

    Cansei de ver acidentes com Vans/Kombis no meu trajeto diário para o trabalho!

    Quando estou sem carro, pate na madeira, eu até entro em uma Vans/Kombis; meu bairro é ruim de ônibus – Mas não vou dormindo!

    PS: Gostei do seu comentário no VNR, legal saber que estou agradando!
    Bjinho e vou acabar de ler o 30 & Alguns.
    Quarta-feira, 23 Maio, 2007

    Mariano sinta-se a vontade…bjs

    Serjão disse…

    Isso é um dos maiores problemas da Cidade atualmente. E, creia, não tem mais jeito, não. O engraçado é que isso começou na Zona Oeste pricipalmente Campo Grande e Santa Cruz há exatamente dez anos atrás onde as linhas de ônibus sempre foram escassas e o poder público não atua. Hoje está na cidade inteira. Claro que eu não pego mas eles ocupam o lugar da inoperãncia do transporte formal.
    Eu tb já escrevi sobre isso no ano passado e está cada vez mais atual (http://serjaocomentadoceu.blogspot.com/2006/08/o-ataque-das-kombis-assassinas.html)

    Abraços e parabéns pelo Blog
    Quarta-feira, 23 Maio, 2007

    Serjão fico feliz com a sua visita, adoro o seu blog …

  2. Oi
    Meu nome é Marcia, tenho 47 e sou viúva de um motorista de van. Não.. não estou aqui para reclamar pq “todos” são contra vans/kombis e esses filhos de kengas… Estou aqui, somente para pedir que não generalizem, que não tomem “todos” por “muitos”. Como em todas as áreas, encontramos toda a sorte de profissionais. Eu tb odeio “todos” os que fazem toda essa melecança no trânsito, “todos” os que não respeitam os que trabalham seriamente, que são profissionais de fato, como era meu marido. Um caminhão, de uma empresa famosa, atravessou a pista e o colheu de frente, trazendo a tragédia para dentro do nosso lar. Não vou descrever como ele era como pai, como marido, o quanto todos o amavam, pq isso na verdade nem vem ao caso. Não generalizem. Vcs não tem idéia de quanto dói esse tipo de comentário para quem via seu marido, seu companheiro de 20 anos, pai, amigo e, no tocando ao assunto, um excelente profissional, respeitado por todos os que o conheciam exatamente pelo cuidado com seu instrumento de trabalho, tanto no tocante à documentação quanto à manutenção do carro, ser achincalhado, humilhado e mal dito por quem efetivamente não conhece a rotina dos que realmente tem respeito principalmente por si e sua família e, assim, por quem transportam em seus veículos.
    Att
    Marcia Albernaz


Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.