10 etiquetas de alimentos que parecem ser mais saudáveis do que realmente são

Lendo a MORE Magazine, me deparei com com um texto super interessante, “10 Food Labels That Sounds Healthier Than They Are” (10 etiquetas de alimentos que parecem ser mais saudáveis do que realmente são), principalmente hoje em dia em que somos bombardeados com informações sobre como os produtos orgânicos, naturais, frescos, grãos,entre tantos outros são o ideal para a saúde , que podemos acabar levando gato por lebre.

# 1 Sem Gordura Trans: em 2004, quando a FDA confirmou que as gorduras trans são mais prejudiciais do que as gorduras saturadas, as empresas começaram a retirá-los de seus produtos, no entanto, utilizando mais gorduras saturadas, como palma, dendê e óleo de coco, que são, de acordo com a American Heart Association, as principais causas de níveis elevados de colesterol.

Na hora da compra: leia na etiqueta todos os tipos de gorduras existentes no produto. A American Heart Association recomenda comer menos de 16 gramas de gordura saturada e menos de 2 gramas de gordura trans por dia.

# 2 Produto feito com fruta natural: a menos que o produto contenha pouquíssima fruta, especialmente se for um suco de fruta “coquetel”, que freqüentemente contêm mais água e açúcar do que fruta natural.

Na hora da compra: limite-se a 118ml de suco de fruta 100% por dia e verifique a etiqueta em relação aos adoçantes, tais como xarope de milho rico em frutose e caldo de cana.

# 3 Produto Rico em Fibras: nem todas as fibras são iguais, alguns alimentos, especialmente biscoitos, não mencionam que a fibra adicionada a seus produtos é adicionado artificialmente, o que acaba não atingindo os mesmos benefícios para a saúde, como redução do colesterol ou açúcar no sangue, que ocorrem com a fibra natural. Além disso, também podem conter grandes quantidades de gordura e açúcar.

Na hora da compra: as mulheres necessitam entre 21-25 gramas de fibra por dia e o ideal para obtê-las é a partir de grão 100% integrais, frutas, legumes e feijões, que também contêm um amplo espectro de vitaminas e minerais.

# 4 Produto Natural: alguns produtos ainda podem conter ingredientes artificiais ou adicionados como o ácido cítrico, xarope de milho rico em frutose e corantes alimentares. Até mesmo um produto sem ingredientes artificiais e aditivos, não significa ser saudável.

Na hora da compra: ao escolher entre dois produtos, não pegue automaticamente a “embalagem” escrito natural, verifique a etiqueta da nutrição em relação a quantidade de gordura, calorias, açúcar, etc, como faria normalmente.

# 5 Gordura Reduzida: se um produto é rotulado com teor reduzido de gordura, só significa que tem 25% menos gordura que a versão original e não que contém uma boa quantidade de gordura. Esses tipos de produtos tendem a ter mais açúcar, o que pode ser pior do que as gorduras saturadas retiradas.

Na hora da compra: ao escolher entre a versão original de um produto e o seu homólogo com gordura reduzida, compare as gorduras, calorias, açúcar e listas de ingredientes. Se um produto que contém menos gordura saturada ou trans (mas ainda uma grande quantidade) e edulcorantes, a melhor opção ainda é a versão original do produto. Este tende a ser o caso na maioria das vezes com salada, manteiga de amendoim, iogurte, biscoitos e petiscos empacotados.

# 6 Quantidade reduzida de açúcar: muitos alimentos, como frutas e iogurte, são naturalmente ricos em açúcar, mas também contêm uma variedade de nutrientes que os tornam saudáveis. Outros alimentos, principalmente biscoitos contêm grandes quantidades de açúcares que fornecem uma abundância de calorias extras, mas não nutrientes extras. Preste atenção a lista de ingredientes.

Na hora da compra: evite produtos que tenha o açúcar como o primeiro ingrediente da lista, pois significa que é o mais abundante, ou lista de açúcares múltiplos ao longo da lista, que é um truque usado pelas empresas para que não tenham o açúcar listado em primeiro lugar. Qualquer tipo de xarope ou palavra que termine em “-ose” (como sacarose, frutose e dextrose) deve ser chamar a sua atenção.

# 7 Multi-grãos: se você estiver procurando por um pão saudável, biscoito ou cracker, esqueça as caixas que anunciam multi-grãos, uma vez que é um termo ambíguo que pode também incluir cereais refinados. Alimentos feitos com grãos integrais são uma alternativa melhor, já que contêm mais fibras e nutrientes, além de conterem menos gordura.

Na hora da compra: mesmo os produtos marcados “grão integral” pode ser insalubre. O fabricante pode ter usado poucos grãos integrais e adicionado um corante artificial para fazer a comida parecer mais escura e saudável. Smpre escolha os alimentos rotulados como 100% grãos integrais ou 100% trigo integral, ou caso tenha listado em primeiro lugar nos ítens nutricionais grão integral.

# 8 Frutas: quando diz que o produto é composto por frutas frescas, duvide pois muitas vezes as frutas viajam quilometros antes de alcançarem as prateleiras (especialmente quando não é época da mesma), e acaba sendo exposto a mais oxigênio, que afeta o sabor e os níveis de nutrientes. Frutas congeladas oferecem um pouco mais de vantagem porque são escolhidas durante seu pico de maturação e não prematuramente como os seus homólogos frescos.

Na hora da compra: Se você escolher por frutas congeladas, tenha cuidado, verificando os rótulos, dando preferência as frutas sem adição de açúcar.

# 9 Free-Range: é outro rótulo que reflete preços mais elevados sem definir ganhos nutricionais. Supostamente são produtos produtos de animais criados soltos, mas na verdade os fabricantes só são obrigados a deixar os animais soltos por um período “indeterminado por dia”, às vezes é apenas um curto período de tempo, com acesso ao exterior, sendo nada mais do que um gramadinho ou laje de um pavimento.

# 10 Produto Orgânico: algumas pesquisas mostram que os produtos biológicos não são necessariamente mais saudável ou mais nutritious, orgânico significa simplesmente que os pesticidas não-essenciais e adubos, não foram utilizados na colheita do produto. Alguns produtos rotulados como “orgânicos” são saudáveis, mas outros são carregados com açúcar, gordura e sódio.

Na hora da compra: as pessoas estão pagando preços mais altos por produtos orgânicos pensando que são mais saudáveis. Se você pode se dar ao luxo de comprar orgânicos, pelas razões certas – ok – , se você está preocupado com pesticidas, mas tem um orçamento restrito, limite suas compras de produtos orgânicos para 12 frutas e produtos hortícolas, considerados pelo Environmental Working Group mais contaminado: aipo,pêssego, morango, maçã, mirtilo, nectarina, pimentão, espinafre, cereja, couve, batata e uva.

Aos 30&Alguns eu pergunto: você costuma olhar as etiquetas e os nutrientes nos produtos?

Curta nossa página 😉

10 thoughts on “10 etiquetas de alimentos que parecem ser mais saudáveis do que realmente são

  1. Pingback: Veridiana Serpa
  2. Oi, parabéns pelo post.
    Tenho lido cada vez mais os rótulos e me informado muito sobre o que eles significam, mas me sinto muito perdida e às vezes até um pouco irritada com o jogo de palavras dos fabricantes.
    Patricia

  3. Pingback: Comer para Crescer
  4. Pingback: Futuro do Presente
  5. Pingback: Julieta Nogueira
  6. Sou produtora de frutos orgânicos e gostaria de saber quais pesquisas provaram que alimentos biológicos não são mais saudáveis. Tenho 10 anos de experiência na agricultura orgânica e nunca ouvi falar sobre “pesticidas não essenciais”. Os produtos orgânicos fazem parte de um processo agroecológico que envolvem muito mais que a não utilização de agrotóxicos. Todo o alimento orgânico preserva os componentes nutricionais e ainda não possuem resíduos de agrotóxicos para serem ingeridos pelo consumidor. Na minha opinião produtos orgânicos são muito mais saudáveis sim.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Follow by Email
Pinterest
LinkedIn