40 anos de feminismo: as mulheres estão mais felizes e realizadas?

Lendo o blog Gizmodiva que é sobre gadgets voltados para mulheres, acabei chegando no artigo do Daily Mail – “Women are more unhappy  despite 40 years of feminism, claims study” (As mulheres estão mais infelizes apesar de 40 anos de feminismo, afirmam os estudos), uma matéria sobre um novo estudo realizado pela empresa inglesa Marks & Spence que chegou a conclusão que as mulheres inglesas estão mais infelizes apesar dos 40 anos de feminismo, de terem  mais oportunidades, ainda estão com a baixo senso de bem-estar e satisfação de vida, independente da idade e de estarem casadas ou solteiras, com ou sem filhos.

Segundo Sir Stuart Rose, apesar de ocuparem cargos em todas as esferas, como piloto de avião-caça, astronautas, médicas, mineradoras, dentistas, diretoras, entre tantos outros e mesmo a maternidade não atrapalhando os planos de carreira, as mulheres continuam infelizes.

Já a doutora Dr Katherine Rake da Fawcett Society, que luta pela igualdade entre mulheres e homens, ainda há em muitas empresas falta de flexibilidade de horários para as mulheres poderem conciliar o trabalho fora de casa com o trabalho doméstico.

Um estudo conduzido pelo  US National Bureau of Economic Research apontou que na era pós-guerra as mulheres eram mais felizes que os homens e atualmente a diferença é nula.Em 12 países europeus a felicidade das mulheres caiu relativamente se comparada a dos homens, segundo os autores do estudo, Betsey Stevenson e Justin Wolfers da Universidade da Pensilvânia, o resultado pode se dar ao fato das mulheres atualmente serem mais diretas e objetivas em relação aos seus sentimentos.

Siobhan Freegard, fundadora do website Netmums, realizou uma pesquisa com leitoras do website e descobriu que os níveis de depressão pós-parto (melancolia da maternidade) aumentaram muito se comparados há 30 anos.

Muitos indicam que a vontade de ter tudo, está causando estado de tristeza e melancolia em um grupo cada vez maior de mulheres, que tem que conciliar a carreira, a vida matrimonial – quando se tem uma – ou a busca por um parceiro, tudo isso além dos trabalhos domésticos e da criação dos filhos.

As mulheres lutaram tanto para alcançarem os mesmos direitos que os homens, porém os salários entre homens e mulheres continuam sendo diferentes, segundo a Confederação Internacional dos Sindicatos (ICFTU) o Brasil é o país com a maior diferença salarial entre homens e mulheres, das que participaram da pesquisa em 24 países,  ganham em média 22% a menos que do eles, já no Brasil a diferença fica em 34%.

Aos 30&Alguns, eu pergunto o que vocês acham desses dados, o que deve mudar e como conseguiremos ter mulheres conciliando a dupla jornada de trabalho, tendo seus direitos garantidos e recebendo salários dignos? Por que se elas recebem menos pelo trabalho que fazem, quem paga concorda com isso e como essa situação pode mudar?


Curta nossa página 😉

4 thoughts on “40 anos de feminismo: as mulheres estão mais felizes e realizadas?

  1. Concordo plenamente com estes estudos. O Feminismo veio mais para prejudicar as mulheres do que para melhorar suas vidas. Estas feministas tentam se defende, alegando que antes a mulher era oprimida e não tinha direitos, dando a entender que todos os homens sempre viveram maravilhosamente bem e podiam fazer tudo o que queram.

    Hoje as mulheres estão vendo como é dura a vida de um homem comum. Enquanto na casa, a mulher é a CHEFE, no seu trabalho, ela é uma subordinada, cheia de horários a cumprir.

    Esta história de que mulher ganha menos é uma das maiores mentiras contadas pelas feministas (que são mentirosas por natureza). Aqueles dados divulgados pelo IBGE apenas mostram rendimentos brutos, sem levar em consideração os adicionais, horas extras, jornada de tralho nas empresas; porém, quando questionadas sobre as empresas que pagam salários diferenciados, ficamos no vácuo.

    Faz 3 dias qe postei esta pergunta no Yahoo! Respostas.

    Quais empresas pagam salários menores às mulheres?

    http://br.answers.yahoo.com/question/index;_ylt=AjHGwxEzCOpM3oPyQZXOobHJ6gt.;_ylv=3?qid=20110107201039AAqWUrH

    Os homens são mais favorecidos judicialmente do que as mulheres?

    http://br.answers.yahoo.com/question/index;_ylt=AnOXTmeo0zqqKUIWO2k.vIXJ6gt.;_ylv=3?qid=20110107202651AAQlhdI

    Veja só como ninguém aparece ara responde. Eu gostaria muito de saber onde é que se pagam salários desiguais paa homens e mulheres. Apesar de eu ser um ferrenho opositor do feminismo e defensor de valores tradicionais, e jamais concordei com este tipo de Injustiça. Se o trabalho é o mesmo, o rendimento também é, então todos devem receber o mesmo soldo. Se há diferença salarial, ocorre em “empresas” que ficam no meio da Amazônia, onde pagar menos às mulheres é a irregularidade manos grave de todas. São nestes lugares onde crianças pequenas trabalham, péssimas condições de trabalho, segurança, higiene. Mas isso é um caso à parte, anormal e não uma regra, como pregam estas “feminazis”

  2. cont.

    Eu já trabalhei nos Correios. Sabia que existe um adicional chamado “auxílio creche” de 340 reais e que só é pago para MULHERES com filos até 7 anos. O homem só tem direito a este benefício se ele detiver a guarda da criança. Onde estão os direitos iguais neste caso? Ao homem não lhe dão escolhes se ele quer ou não assumir o filho e ele também não terá o direito de decidir ou não sobre o filho que estará na barriga de sua mulher, caso a lei do aborto seja aprovada, mas para pagar pensão e cuidar da criança, as obrigações devem ser iguais.

    A impressão que me passa é que as mulheres detém de mais privilégios que o homem, sempre usando o filho como desculpa. Direitos iguais para tirar vantagens, mas dão uma de donzelas quando é para garantir a manutenção de privilégios ou a obtenção de novos.

    Mesmo com todo o Estado apoiando leis feminista e oprimindo homens de bem, as feministas ainda têm a cara e pau de choramingar que o mundo é contra as mulheres e que as mulheres sofrem mais, ganham menos.

    Se existe desigualdade nisso é contra os homens. A maior parte dos contribuintes da Previdência são homens, mas a maioria dos pensionistas são mulheres. Homens contribuem cinco anos a mais para desfrutar doze anos a menos (faça o cálculo: o homem trabalha cinco anos a mais e vive sete anos menos). Pela CLT, a hora noturna da mulher é de 52:30. Um homem tem que trabalhar 7:30min a mais para ganhar o mesmo que a mulher.

    Dupla jornada não é exclusividade feminina. Se muita mulher trabalha em casa e na empresa, muitos pais de família têm dois empregos (conhece o marido da Rochele?) ou bicos de final de semana. Conheço vários homens que trabalham 7 dias por semana. Enquanto isso, muita dondoquinha que nunca lavou um copo em casa, só começou a trabalhar depois de formada, fica choraminando que “Nós, mulheres, temos dupla jornada. Por isso é que temos o direito de nos aposentamos mais cedo.” Isso é que é hipocorisia.

    Para um homem defender o feminismo tem que ser muito ESTÚPIDO, vendo que toda esta sacanagem ocorre e ele ainda leva a culpa de tudo.

  3. Naquela época em que as mulheres eram felizes,elas não podiam estudar,trabalhar ou mesmo comprar bens sem autorização do marido,todos os bens herdados passavam p a mão do marido. Ela não podia se separar, ela poderia morrer nas mãos do companheiro,apanhar e ser estuprada pelo mesmo que ninguém tava nem aí. Ainda culpam as mulheres pelo estupro, mas antes, ninguém acreditava nelas. Naquela época, mulher nem ouvida era,era obrigada a ser mãe,porque não tinha como ter controle do corpo. Era obrigada a ser dona de casa mesmo querendo outras coisas. Eram obrigadas a casar com quem o pai quisesse e se engravidasse de um homem,ele poderia dizer q o filho não era dele e ninguém ia fazê-lo assumir.
    Toda a “proteção masculina” tinha um preço que nem toda mulher quer pagar : submissão.
    Hoje, vc pode casar,trabalhar,estudar,votar com quem/em quem quiser. Hoje, vc não precisa se submeter a nenhuma decisão.
    Então, não creio que as mulheres de ontem eram mais felizes,apenas mais conformadas e credoras de que não mereciam nada do que temos hoje. Ingratidão dói, ainda mais vindo de uma mulher.

  4. E só mais uma coisa, o fato de trabalho feminino não ser levado a sério e muitas mulheres serem subutilizadas tb provoca melancolia; o fato de homens não dividirem tarefas domésticas e cuidados com os filhos também causa melancolia. Se a sociedade apoiasse mesmo a mulher, muito desse sentimento cairia por terra.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Follow by Email
Pinterest
LinkedIn