Entenda o que é o jejum intermitente

A nutricionista Gabriella Alves esclareceu as principais dúvidas sobre o jejum intermitente que alcançou fama depois de a atriz Deborah Secco declarar que recuperou, em apenas um mês, a boa forma após a gravidez utilizando o método. Polêmico, já que o paciente pode ficar até 23 horas seguidas sem comer, segundo a profissional, é importante lembrar que o jejum requer acompanhamento médico e é recomendado apenas para quem possui dieta saudável e baixa em carboidratos.

A nutricionista alerta para a importância de um respaldo de um profissional da área e que cada paciente deve ser analisado em sua individualidade já que o jejum deve ser direcionado baseado nas atividades do paciente.

Um dos mitos em relação ao jejum intermitente é que causa redução de massa muscular, assim também como não é permitido consumir água durante o jejum e que as taxas de colesterol pioram.

Na realidade o jejum intermitente promove emagrecimento (perca de gordura), previne doenças como diabetes e hipertensão  e melhora disposição e ânimo. Ele é uma conduta alimentar, pode ser considerado um tipo de dieta, que se baseia em reduzir o período de alimentação durante o dia, deixando o indivíduo no mínimo 12 horas em jejum podendo se expandir para 23 horas.

O objetivo final, a faixa etária, as experiências prévias e a rotina dos pacientes são pontos fundamentais para a aplicação desse protocolo. Normalmente se encaixa em qualquer rotina e, por ser uma forma diferente de emagrecimento, é bem recebido pelos pacientes, mas deve-se ter atenção com a idade e demais necessidades nutricionais.

Deve ser direcionado baseado nas atividades do paciente, nenhuma atividade física necessita ser reduzida ou suspensa, mas é importante planejar a dieta de forma que forneça os nutrientes necessários a essa prática

O jejum intermitente promove benefícios como prevenção de doenças como diabetes, hipertensão e câncer, além da redução do colesterol e triglicerídeos. É uma excelente forma de reduzir massa corporal para pessoas com excesso de peso, sendo a maior indicação para pessoas que visam emagrecimento, quem está com a massa corporal total maior que a desejado. Porém, deve-se ter cautela ao utilizá-la em pacientes com algum problema de saúde e não deve ser aplicada em crianças, adolescentes, idosos e gestantes.

A nutricionista Gabriella Alves tem o jejum intermitente como tema na dissertação de mestrado em Ciências da Saúde pela Universidade de Brasília (UnB).

Curta nossa página 😉

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.