Relacionamentos e afins

Com o passar dos anos percebemos que nem tudo que sonhávamos e visualizávamos para nossas vidas se torna realidade, da mesma forma que também nos damos conta que fatos, situações, realidades diversas se tornam parte de nossas vidas sem nunca termos tido tempo de sonhar ou idealizá-las.

Assim, me recordo de quando era adolescente e aos 17 anos fiz um pacto com um amigo que se chegássemos aos 30 anos de idade solteiros, iríamos nos casar, sem amor, sem sexo, sem nada que compõe um casamento, mas simplesmente pelo fato de não chegar nessa idade “tão avançada” solteiros.

Provavelmente essa idéia estapafúrdia surgiu na minha mente insana e transloucada de adolescente que queria viver tudo, aproveitar todos os momentos, curtir, curtir e curtir, mas sempre com certo receio de no final acabar só, afinal fazer parte da geração “ficação”, onde todo mundo ficava com todo mundo e no final ninguém realmente ficava ninguém, causava um certo medo do futuro amoroso.

Acabou que casei aos 25 anos de idade, nada parecido com o sonho de infância, sem festão, sem igreja, sem vestido branco de noiva, apenas nós dois e não me arrependo, apesar de um dia ainda querer ter a cerimônia e celebração com tudo que tenho direito, mas não me arrependo pelo simples fato de conhecer mais de uma dezena de casais que tiveram toda a pompa e cujos casamentos não duraram e o meu já conseguiu ultrapassar uma década.

Assim como o casamento não foi o sonhado, a idade em que tive o meu primeiro filho, jamais seria a imaginada na minha infância, onde sonhava com o casamento perfeito e provavelmente a essa idade já ter cinco filhos, isso mesmo, cinco filhos, nunca conheci nenhuma outra menina que na minha idade sonhasse em ter cinco filhos.

Hoje estou muito feliz com o meu primogênito, penso talvez em ter outro antes de completar os 40 e ter que criar outro blog, quem sabe…

Aos 30&Alguns, vejo que apesar da minha vida não ter tomado os caminhos sonhados na infância, sou feliz com o que tenho, com a família que construímos, temos nossos altos e baixos e talvez seja bem por isso que estamos juntos há tanto tempo, quem sonha com a paixão constante e alegria duradoura não permanece casado, vive de ilusão, e casamento mesmo só dura quando ambos encaram sem medo a realidade da vida a dois, sem perfeição e ailusão de 100% do tempo ser repleto de alegrias e tesão, mas a vida como a vida é, como ela acontece a cada instante.

Curta nossa página 😉

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Follow by Email
Pinterest
LinkedIn