fotografia

A fotografia no controle da saudade

Colecionar memórias inesquecíveis através da fotografia facilita a convivência com a saudade

O tempo passa rápido. Cada segundo que vivemos nunca irá ser repetido. Nem que copiado, cada segundo, minuto, hora e dia que vivemos é único. Por ano, vivemos 8760 horas, que são mantidas ou esquecidas na nossa mente. Por serem únicos, entretanto, existem momentos que queremos repetir e presenciar novamente com a mesma (ou parecida) emoção. Mas como? 

Desde o nosso nascimento, vivemos momentos que ficam ou não guardados na nossa memória. Uma ida ao supermercado pode ser facilmente esquecida, ao contrário de um dia especial com a família e pessoas amadas. Por vivermos várias cenas todos os dias, é difícil, no decorrer da nossa vida, infelizmente, guardarmos todos os bons momentos na nossa mente. E, mesmo que lembrados, eles geralmente perdem o encanto. 

Quando lembramos de uma memória feliz, automaticamente o sorriso surge, a barriga dá um arrepio e parece que até o coração esquenta. Entretanto, não é difícil com essa felicidade, vir também a saudade, que, para quem sente, não é um sentimento muito gostoso.

Quando sentimos saudade, a maior vontade que nos surge, é a de voltar no tempo para poder reviver momentos. Mesmo sabendo que isso não é possível, existem meios de manter viva a lembrança e as emoções que já foram sentidas em memórias antigas. Para Quenia Moltocaro, fotógrafa há mais de 11 anos, “Com o passar dos anos, colecionamos memórias boas que, em decorrência das tantas coisas que vivemos, podem vir a serem esquecidas”. Para ter sempre em mente todos os bons momentos que viveu, a fotografia é uma ferramenta que permite deixar registrado tudo aquilo que vivemos.

Refletir sobre a importância e controle da saudade, nos lembramos que diariamente sentimos saudade de algo. Uma pessoa que não está mais presente, um momentos específico, um lugar de felicidade… A saudade pode ser muito cruel. Para poder sentir a mesma emoção mesmo depois do momento já ter passado, a fotografia surge como uma tecnologia que também ajuda no controle da saudade, já que com ela é possível lembrar e reviver momentos.

Para recordar momentos e reviver histórias, o ato de fotografar se torna um ato de cuidado e até mesmo de amor. Alline Moltocaro, irmã e sócia de Quenia na empresa QA Sisters, acredita que “A fotografia se torna, no futuro, a nossa única aliada para recordar e se memorar de pessoas, lugares e emoções. Quando perdemos alguém e não temos mais como olhar no seu rosto, somente as fotos nos fazem sentir aquela pessoa juntinho de nós novamente”.

A saudade é um sentimento muito forte, mas que nos afirma que o que vivemos de fato valeu a pena. Que possamos entender que a saudade é apenas algo que devemos sentir para relembrar dos bons momentos da vida. E que, para poder senti-la não com tristeza, mas sim com até certa alegria, as fotografias são o que ficam do que se passou. 

Curta nossa página 😉

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.