Planeta Inseto

Dia das Crianças: visita virtual as exposições Planeta Inseto e Museu de Pesca

A versão virtual das duas exposições, Planeta Inseto e Museu de Pesca, conta com uma réplica da estrutura física dos espaços, contendo em cada ambiente parte do acervo real, que são visitados por mais de 80 mil pessoas anualmente.

A restrição de visitas a museus devido à pandemia do novo coronavírus não impedirá que as crianças comemorem seu dia com diversão e conhecimento. É que os museus de ciência da Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo podem agora ser visitados de forma virtual, de dentro de casa.

A nova modalidade permite que o público mate a saudade do Planeta Inseto, único zoológico de insetos do Brasil, mantido pelo Instituto Biológico (IB-APTA), e do Museu de Pesca, uma das principais atrações turísticas de Santos, mantido pelo Instituto de Pesca (IP-APTA).

Planeta Inseto

Os visitantes podem ter acesso a informações sobre formigas, abelhas, bicho-da-seda, bicho-pau, baratas e besouros. Além disso, podem conhecer os insetos de importância médica, saber o que é controle biológico e ver como funciona um laboratório entomológico.

“É possível ainda aprender as características que diferenciam um inseto de outros animais, como o corpo dividido em três partes (cabeça, tórax e abdômen), um par de antenas e três pares de pernas. Essa é uma das dúvidas mais comuns dos visitantes da exposição física”.

Mário Kokubu, educador do Planeta Inseto e responsável pela pesquisa de conteúdo da exposição virtual

No ambiente online, os visitantes podem ainda assistir a vídeos, ver fotos e toda a ambientação das salas físicas do Museu do IB.

De acordo com Harumi Hojo, coordenadora do Planeta Inseto e assessora da Agência Paulista de Tecnologia dos Agronegócios (APTA), a visitação virtual é importante a curto prazo, devido à pandemia, mas também a longo prazo.

“Com esse projeto, pessoas de fora da cidade de São Paulo podem conhecer a exposição e saber mais sobre os insetos, que são muito importantes para o meio ambiente e para a produção agrícola. Sempre tivemos a preocupação de levar o Planeta Inseto para outros locais, por isso, temos o projeto de museu itinerante. Porém, essa virtualização, potencializa ainda mais nossas ações”.

Harumi Hojo, coordenadora do Planeta Inseto e assessora da APTA

De forma lúdica e interativa, o público do Planeta Inseto recebe informações sobre o quanto os insetos estão presentes no cotidiano e sua importância para o ambiente, a produção de alimentos e a saúde humana. Estima-se que existam mais de um milhão de espécies de insetos conhecidos e que haja mais milhões a serem identificadas.

A mostra tem como público-alvo crianças e adolescentes de três a 16 anos, mas recebe visitantes de todas as idades. O público pode conhecer no local, em São Paulo, quatro espécies de abelhas sem ferrão e baratas praticando corrida, lagartas tecendo fios de seda, formigas trabalhando em sistema organizado e o bicho-pau, que se assemelha a gravetos.

Sediado no Museu do Instituto Biológico, o Planeta Inseto conta com autorização de manejo e exposição de insetos emitida pelo Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) e pela Secretaria do Meio Ambiente do Estado de São Paulo. Desde a inauguração, em 2010, o Planeta Inseto já recebeu mais de 400 mil visitantes no museu físico e itinerante. O espaço permanece com visitas presenciais suspensas por conta da pandemia.

Museu de Pesca

Mantido pelo IP, o Museu de Pesca tem a missão de divulgar as ações de pesquisa do Instituto e destacar a importância da preservação do meio ambiente e da vida aquática, promovendo a educação ambiental.

No local, são desenvolvidas atividades educativas não formais, com o intuito de promover a preservação ambiental, estimular a sustentabilidade pela correta utilização dos recursos naturais, marinhos e continentais, além de promover a aquicultura sustentável.

A versão virtual do Museu de Pesca é uma réplica da estrutura física do espaço, contendo em cada ambiente parte de seu acervo real. Na visita presencial, para o grande público, as principais atrações são um imponente esqueleto da baleia Balaenoptera physalus, com 23 metros de comprimento e sete toneladas, e os diversos exemplares de tubarões.

“O Museu Virtual permite aos visitantes assíduos, principalmente crianças, aplacar a saudade enquanto o espaço está fechado, e estimula potenciais novos visitantes, uma vez que a visita virtual gera curiosidade sobre as atrações”.

Thaís Moron, pesquisadora do IP e diretora do Museu de Pesca

O Museu da Pesca recebe público de mais de 50 mil pessoas anualmente.

Projeto Venha Visitar Virtualmente

O projeto Venha Visitar Virtualmente (PVV) foi idealizado por Cibele Silva, bióloga e integrante do Centro de Comunicação e Transferência do Conhecimento do Instituto de Pesca, devido ao impedimento da visitação ao espaço físico neste momento de controle do contágio do novo coronavírus e para dar oportunidade a pessoas de fora da região e até mesmo do Estado de conhecer o acervo do Museu. O Projeto VVV foi planejado e desenvolvido por Bruna da Silva, Gabriela Pereira e Raphaela Horti, estagiárias do Instituto de Pesca.

Para visitar o Museu de Pesca, clique aqui.
Para visitar o Planeta Inseto, clique aqui.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.