Dicas da semana: 10 dicas de como não ser enganado pelos varejistas na hora da compra

Toda quinta-feira irei apresentar algumas dicas que vi por aí, devo admitir que a grande maioria encontrei e ainda encontrarei através do Digg.

As dicas dessa semana eu li no blog Joe Consumer -“How Retailers Trick You in to Buying Stuff You Don’t Need (and How to Fight Back)”.

Os hábitos dos consumidores são muito bem analisados para que a indústria varejista aumente ao máximo suas vendas, o resultado da pesquisa aponta maneiras de influenciar as emoções do comprador, aumentar suas inseguranças e “enganá-lo” fazendo-o comprar coisas que não necessita e que muito menos queira realmente comprar.

  1. Carrinhos de compras enormes localizados convenientemente na entrada do estabelecimento. – Devo admitir que ainda não havia parado para pensar a respeito dos carrinhos, um supermercado que eu costumo ir, já que aqui no Rio geralmente faço minhas compras na Sendas ou no Zona Sul, noto que no primeiro há carrinhos de dois tipos, aquele bem grandão que me lembra minha infância, época da inflação em que uma vez por mês meus pais saiam para fazer as compras de supermercado e cada um pegava um carrinho bem grande e no final ambos estavam lotados de mantimentos e o outro carrinho é estilo duplo, mas que na verdade não cabe quase nada, serve apenas para compras básicas.No Zona Sul, eles tem carrinhos grande, mas não enorme e uns carrinhos duplos, super modernos, de plástico com dois andares sendo que o consumidor tem opção de andar apenas com uma cesta presa ao carrinho ou na mão.De qualquer forma, acabei ao ler o texto no Joe Consumer, me dando conta que sempre pego o maior carrinho que encontro, faço as compras e no final sempre percebo que comprei muito mais do que tinha na minha lista.Segundo o Joe Consumer, quanto maior o carrinho, maior a sensação de que está vazio o que acaba fazendo com que o consumidor acabe colocando produtos a mais do que realmente necessita. A melhor opção em caso de compras pequenas, escolher carrinhos menores ou até mesmo uma cesta.
  2. Espelhos – Os espelhos servem para fazer com que o consumidor ande mais devagar, pois como o ser humano é vaidoso, acaba olhando-se no espelho, analisando-se e por consequência acaba comprando algo para sentir-se melhor.Uma boa dica do blog Joe Consumer é sair de casa com uma roupa que sinta-se bem, confortável e bonito(a), dessa forma um espelho não irá desviar a sua atenção.Fique na frente do espelho apenas quando for provar algo, uma roupa, um sapato, caso contrário, ignore-o.
  3. “Compre quantidade para economizar” – Muitos consumidores não se dão conta que nem todas as vezes que há dois ou mais produtos sendo vendidos juntos o preço é necessariamente mais barato. Às vezes um produto custa R$5,00, porém na promoção lê-se “Leve 4 por apenas R$19,90”, ou seja, pela “economia” de 10 centavos muitas vezes o consumidor acaba levando uma quantidade do produto que provavelmente irá levar muito tempo para consumir, podendo o mesmo perder até mesmo o prazo de validade.
  4. Cheiro delicioso pelo ar – Supermercados e restaurantes amam estimular o apetite do consumidor com visões provocantes e aromas, oferecendo amostras grátis. A melhor dica é comer antes de ir fazer compras.

  5. Promoções e descontos – Como diz no Joe Consumer: será que você realmente precisa levar para casa um pote ENORME de maionese? Será que você realmente está precisando levar 20 cabides, apenas porque estão na promoção?Utilize sempre a calculadora para ter certeza da economia (real) que está fazendo.
  6. Caixas e latas empilhadas – Servem para distrair o consumidor, fazê-lo diminuir a velocidade e esquecer um pouco do que está realmente procurando. Lembre-se disso e passe reto por essas pilhas bem planejadas.
  7. Produtos essenciais no final da loja – Isso é verdade, quando vou ao supermercado os produtos que ficam no final são o leite, queijo, iogurte, ou seja, vários produtos básicos para serem comprados, antes devo atravessar o supermercado inteiro, empurrando meu carrinho de compras gigante até alcança-los, a consequência quase sempre é que acabo colocando mantimentos e besteiras que não estavam na lista, dentro do carrinho.Essa eu não sabia, segundo o Joe Consumer, algumas lojas pagam o funcionário para manter, por exemplo, as roupas perfeitamente dobradas enquanto alguns supermercados pagam um funcionário para manter uma prateleira com produtos com desconto meio que desorganizadas, dando a impressão que vários consumidores já compraram algo que estava ali, assim o subconsciente do consumidor associa que alí ele estará fazendo um bom negócio.

  8. Cartão do próprio estabelecimento – Hoje em dia é comum lojas e supermercados oferecerem cartões exclusivos, o objetivo é fazer com que o consumidor compre o que não necessita no momento, naquele determinado estabelecimento pois geralmente quem possue o cartão tem desconto e um prazo maior para pagar. Alguns estabelecimentos aceitam o pagamento apenas nas redes das lojas, fazendo com que o consumidor compre mais no momento que vai efetuar o pagamento.
  9. Produtos na altura dos olhos das crianças – Esse nem tem necessidade de explicar, a melhor opção é não levar as crianças na hora das compras, o apelo diário dos comerciais fazem com que os pequenos fiquem enlouquecidos querendo comprar.
  10. Produtos ao lado do caixa – Chicletes, revistas, creme para barbear, biscoitos, … tudo ao lado do caixa, na hora de pagar esta seção é conveniente porque é compacta, limitada e o principal, o consumidor não tem como comparar preços. Fique atento para não gastar sem precisar.

Aos 30&alguns eu pergunto o que você achou das dicas?

6 comentários

  1. Sabe Veri,
    essas dicas são super importantes! Não sou lá muito fã de fazer compras…mas acabo fazendo, e me serviram bem!! Vou me antenar mais!
    beijos

  2. Eu reparei nessas coisas..

    eu por exemplo nao tinha conhecimento do tal Torrone..

    ai um dia eu estava esperando na fila, vi aqui e levei.
    Resultado: agora estou viciada..e aquilo é caro pra caramba..:(

  3. Oh, amiga, um colega meu especialista em marketing, classifica isso como”PROPAGANDA É A ALMA DO NEGÓCIO”…Tenho lá minhas dúvidas
    beijos

  4. Todas verdadeira. Porém, na atualidade, não funciona bem comigo. Motivo: estamos atravessando uma crise regional. Pouco dinheiro, parcos investimentos.

  5. Nossa… tudo verdade.

    O carrinho grande entao… tá cada dia maior. E os supermercados, menores. Os carrinhos quase nem conseguem circular mais… aqui em BH, o supermercado EPA é assim.

    Beijo

    Maysa

  6. Olá

    Posso descordar de você? Sou profissional de marketing e no marketing existem diversos códigos de ética que dizem respeito direto ao consumidor. Você pode varrer a literatura do marketing para ver que estratégias de venda e posicionamento de marcas sitadas por você não estão na contra mão dessa ética; e nem do código de defesa do consumidor. E sabe porque? Porque por mais que profissionais de marketing criem estratégias que visam mexer com o desejo das pessoas e com lebranças de marca, a decisão de compra sempre será do consumidor. Agora, se este consumidor fraqueja…

    Um grande abraço
    Fábio

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.