Exames, artérias, calças e blusas.

Tem coisas que nem contando a gente acredita, minha mãe teve que fazer dois exames essa semana, um era da carótida e o outro das varizes.

Ao chegar no laboratório do exame da carótida, logo de cara percebeu que tinha uma funcionária mais antiga, treinando uma estagiária ou funcionária contratada a pouco tempo, e explicava várias coisas para ela. Na vez da minha mãe fazer o exame, a moça nova no laboratório ficou encarregada de acompanhá-la até a sala e prepará-la para o mesmo.

Eis que ao entrar na sala, minha mãe recebe um avental e é informada pela novata que deve tirar as calças. Sem entender muito bem a ligação entre pernas e carótida, pensando que de repente poderia ser algum método novo, minha mãe tirou as calças e perguntou se era necessário tirar as meias, o que lhe foi informado que não era.

A moça deixou minha mãe na sala esperando pela médica, que quando entrou não entendeu nada e perguntou: “foi a moça que pediu para a senhora tirar as calças?”.

Veja bem onde fica localizada a carótida:

arteriassecundarias2.jpg

Em outro laboratório, minha mãe foi fazer exame das varizes e ao ser levada até a sala, a funcionária informou que ela deveria tirar a blusa e colocar o avental.

Veja bem onde ficam localizadas as varizes:

legs-street.jpg

Não eram laboratórios do SUS, muito pelo contrário, laboratórios de nome aqui na cidade que um dia já foi maravilhosa.

Aos 30&Alguns vejo que na hora em que for fazer um exame, se acharmos algo estranho no procedimento de preparação devemos questionar sempre. Imagine se fosse um médico e na hora que ele entra na sala ela está sem a calça para fazer um exame da carótida? E você já passou por algo similar, como médico(a) ou como paciente?

16 comentários

  1. Quando você vai fazer exame, não fica lá muito confortável, seja porque está com dor, preocupada com o resultado, porque o exame em si pode ser desconfortável, ou porque vai ficar exposta a desconhecidos. Aí vem uma pessoa dessa, totalmente despreparada, e complica mais ainda.

    Nunca passei por uma situação assim, mas há poucos dias a atendente de um laboratório passou orientações pra um exame para minha vó, por telefone. Chegando no laboratório, descobrimos que as orientações estavam erradas. Ela não pôde fazer o exame e precisou voltar no outro dia.

  2. Parte 1
    —————————–
    Minha sobrinha, era secretária de uma usina, e um senhor chegou querendo falar com o gerente dela, e ela perguntou para ele:

    – Quem eu devo anunciar que está aqui?
    – Diga-lhe que é o ginecologista dele!

    Ela gentilmente disse ao interfone:

    – Senhor fulano, o seu ginecologista deseja falar com o senhor!
    – Tá, manda esse sacana entrar!

    As vezes, é mesmo desinformação, desatenção.

    Parte 2
    —————————–
    Certo dia, Kátia me ligou e pediu para que eu fosse até o Regional. Corri. Cehgando, me informaram que Pedro estava com sintomas, e suspeitas de esta com Meningite. Ficamos 4 horas isolados numa sala branca. E depois de muito tempo, quando o médico chegou para realizar a punção, Pedro estava sem nenhum sintoma. Ele questionou:

    – Quem diagnósticou que esta criança tinha sintoma de Meningite:
    – Foi o senhor pelo telefone?
    – Eu?
    – Você tá é louca!

  3. Veri, eu pergunto até que remédio estão me aplicando para fazer exames. E quando tinha qualquer crise no Brasil,eu morria de medo de ir parar na EMERGÊNCIA

  4. Continua…

    é que aplicam medicamentos iguais para todos os pacientes,.
    Se com sua mãe acordada,eles fizeram isso,m iamgine com uma pessoa desacordada.
    Deus me livre.
    dar até arrepios.
    Bjs e dias Felizes.

  5. Meu pai foi fazer um exame no intestino e o procedimento dizia q deveria estar com o mesmo limpo sem resíduos. Chegando ao hospital, hospital dito de renome, ele disse a enfermeira x q já havia feito o procedimento em casa, como recomendado, e q não precisaria tomar nenhum outro tipo de laxante. A enfermeira y entrou 15 minutos depois e disse q ele precisaria tomar um remédio z e ele obedeceu a enfermeira, mesmo falando o que tinha feito previamente. Moral da história : deram uma dose a mais, desnecessária, e ele passou mal, tendo q ficar em observação no hospital. Bem, não deu outra, tive q armar um barraco no hospital ao ver meu pai mega abatido e quase desmaiado. O procedimento q seria feito em 40 minutos e ele seria liberado, durou umas 6 horas. E aí a gente se pergunta, se hospital particular rola estas coisas, imagina o q não sofre a maioria da população ?

  6. Du Bosley » exatamente, fico imaginando isso e fico super preocupada, um absurdo, imagino o seu nervosismo vendo seu pai nesse estado, se fosse com algum familiar ou amigo meu eu tb ia falar muito… bjs e adorei a visita. 😉

  7. Minha cara…. Não fale assim da saúde brasileira. Com todo o despreparo dos nossos funcionários, da falta de médicos nos ambulatórios e de todas as barbaridades que todos nós já passamos, isto é ” fichinha” perto do que passei e estou passando aqui na Itália, ” primeiro mundo”… cadê ele???? Minha filha ficou doente há um mEs atrás e depois de gastar os tubos, sim, pq mesmo ela sendo cidadã italiana, tem um raio dum tichet que se paga por qq exame realizado mesmo que no serviço público. E mais, se vc precisar de um especialista que não o seu médico de família vc vai ser mandado para um especialista a pagamento à módica quantia de 150 euros a consulta. Para a marcação de um exame, se for serviço público, mais ou menos uns dois meses( SUS puro); resultado? Um mês para o de uma simples bópsia de pele que sai da universidade, que o dotô cobrou 150 euros prá realizar, mais 30 do ” famigerado” tichet! Depois de gastar 3000 euros,indo a trocentos ” especialistas ” em PN achamos mais fácil ir para o Brasil e resolvido o problema em uma semana… Sã e salva…. O diagnóstico? Bem mais simples do que o que haviam dito no primeiro mundo… Se fosse por eles, já podia ter encomendado o caixão!!!!!

  8. olga » assim como está errada a situação na Itália, aqui no Brasil tb está, e é muito preocupante as pessoas precisarem de atendimento médico e passarem por esses tipos de situações.

  9. grace olsson » exatamente, isso é extremamente preocupante, temos que ficar atentos e sempre perguntar, afinal é nossa saúde. bjs e dias felizes.

  10. Adao Braga » realmente, muitas vezes é desinformação, eu acredito que a moça não tinha a mínima idéia do que é carótida … e fico aqui imaginando a preocupação que passaram sem saber o que o Pedro tinha e ainda por cima esperando por um resultado de uma doença como essa, quando na verdade não era nada… lamentável a situação. bjs e uma ótima semana.

  11. Olha, eu sempre penso que é por desinformação. Pq se a gente for maldando tudo, noiando em tudo, acaba maluca de verdade. o.O
    Abs

  12. Carlos Emerson Jr. » o pai de um amigo foi operado em um hospital da rede pública aqui do Rio de Janeiro e ele ainda teve que levar um colchonete para colocar na cama em que o pai foi colocado após a cirurgia, já que não tinha na “cama”…

  13. Renata Pinheiro » exatamente, a pessoa consegue te deixar mais preocupada ainda …bjs euma ótima semana…

  14. Sou professora, quase a concluir uma pós-graduação. Mas, às vezes penso em voltar a trabalhar num laboratório, onde trabalhei quase 5 anos, e fazia o meu trabalho por amor e com atenção. Me sentia importante, pois a vida de outras pessoas dependia da minha competencia e atenção. Nunca emiti um resultado sem que tivesse
    realmente certeza. Em caso de dúvidas… consultava outra opinião.
    Que bom seria se todos aprendessem como eu ou com quem eu aprendi.
    Só nos resta uma condição: ter esperança de dias melhores. Bjs!


Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.